quarta-feira, junho 24

extremos

Dentro do meu ser

Um fogo arde as veias

Feito o sol ao nascer.

Um gelo corta o sangue

Como na hora do morrer.



[Escrevi em Canoa Quebrada-CE # 1982]

15 comentários:

  1. Dentro do meu ser
    Um fogo arde as veias
    Feito o sol ao nascer.
    Um gelo corta o sangue
    Como na hora do morrer.

    [Escrevi em Canoa Quebrada-CE # 1982]

    ISSO É POESIA PURA, QUE MOMENTO ELEVADO DA ALMA QUE ESCREVEU E DA QUE LEU NESTE MOMENTO,
    EFIGÊNIA COUTINHO
    ESCRITORA

    ResponderExcluir
  2. Noooossa, Dalton!!! Deu até arrepios!!!
    Que versos!!!!!
    De +
    Um beijo, poeta das Minas Gerais!

    ResponderExcluir
  3. A dualidade simples e clara. Parabéns.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema ...
    simples mas bem profundo :)
    Gostei ...

    Um abraço...

    ResponderExcluir
  5. Mestre a perfeição e profundidade de um verso. Dia desses escevi e vou repetir aqui: "tem que saber para escrever" Forte abraço meu prefeito e poeta mineiro.

    ResponderExcluir
  6. Professor Dalton!!!!!!!!!!!!!Versos mui belos e sábios.Grande beijo.

    ResponderExcluir
  7. Vindos de uma poetisa humanamente sensível como você, Efigênia, os elogios elevam não somente a alma mas a própria gana por sempre estar tentando melhorar.
    Absorvo a gentileza com o coração emocionado!
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  8. Querida Lau, seus elogios são muito generosos e só vêm reafirmar o carinho e a amizade com quais sempre tratou a mim e meus escritos. Fico realmente lisonjeado! Com a gratidão de sempre!
    Um grande beijo mineiro procê!

    ResponderExcluir
  9. Amigo Wanderley, grato por traduzir a minha intenção literária com muita precisão e sensibilidade.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  10. Grato pela visita e pelos gentis elogios, amiga Ana Lúcia.
    Sua presença é sempre importante e muito bem vinda.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  11. Obrigado, meninamagnólia, por adicionar sua sensibilidade juvenil a essa perplexidade de "gente grande".
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  12. Caro Antonio dos Campos, a gente vai procurando aprender o tempo todo pra saber um pouco mais.
    A perfeição é utópica, mas a intenção de todos nós é chegar o mais perto possível dela. Consciente ou inconscientemente.
    Valeu a visita e a amizade de sempre.
    Um abração!

    ResponderExcluir
  13. Cara amiga Zilda Santiago. É sempre um prazer recebê-la aqui com seus comentários enriquecedores. Grato pelos elogios.
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  14. Lindo, lindo, lindo...
    poucas palavras, palavras contundentes, fogo e gelo! Antíteses complementares, poesia pura... Pura Poesia... Vida e morte e os versos flutuando sobre as duas... Eu ameiiiiiiii
    Parabéns, poucas vezes alguém consegue dizer tanto com tão poucas palavras.

    ResponderExcluir